Fase emergencial da quarentena entra em vigor em todo o estado de SP a partir desta segunda; veja o que muda

Governo instituiu toque de recolher das 20h às 5h e excluiu serviços da lista de essenciais. Medidas devem permanecer até 30 de março. Na rede estadual, recessos de abril e outubro foram antecipados e escolas ficam abertas apenas para oferta de merenda.

A fase emergencial, que prevê regras mais rígidas do que a fase vermelha da quarentena, entrou em vigor nesta segunda-feira (15) em todo o estado de São Paulo e deve permanecer até o dia 30 de março.

Pela nova regra, haverá “toque de recolher” entre 20h e 5h, indicando que as pessoas permaneçam em casa no período. A medida é similar a que já estava em vigor, mas inicialmente denominada “toque de restrição”.

O governo do estado afirma, porém, que a mudança não é apenas simbólica: irá intensificar a fiscalização do tráfego, com aumento de operações da Polícia Militar nas ruas e a possibilidade de interpelar as pessoas nas ruas e orientar a voltarem para casa.

Na fase emergencial ficam suspensas celebrações religiosas e esportivas coletivas, e uso de praias e parques. Alguns setores e serviços, que tinham autorização para funcionar durante a fase vermelha, foram proibidos de operar até o final do mês, como lojas de materiais de construção e a retirada presencial de mercadorias e alimentos nas lojas.

Para as empresas foi determinado o home office para as atividades administrativas dos setores não essenciais, e o governo recomendou o escalonamento do início do expediente para diminuir aglomerações no transporte público.

A expectativa é de conter o avanço do número de casos e mortes provocadas pelo novo coronavírus, elevando o índice de isolamento social para mais de 50%, com a remoção temporária de 4 milhões de pessoas de circulação nas cidades.

VÍDEO: Governo de SP anuncia novas medidas de restrição para combater transmissão da Covid

–:–/–:–

VÍDEO: Governo de SP anuncia novas medidas de restrição para combater transmissão da Covid

O que pode funcionar na fase vermelha emergencial

  • Escolas abertas apenas para oferta de merenda
  • Hospitais, clínicas, farmácias, dentistas e estabelecimentos de saúde animal (veterinários)
  • Supermercados, hipermercados, açougues, lojas de suplemento, feiras livres.
  • Delivery e drive-thru para padarias das 20h às 5h; no restante do dia, funcionamento normal
  • Delivery para bares, lanchonetes e restaurantes
  • Cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis
  • Empresas de locação de veículos, oficinas de veículos, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos
  • Serviços de segurança pública e privada
  • Construção civil e indústria
  • Meios de comunicação, empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens
  • Outros serviços: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica e bancas de jornais

O que não pode funcionar na fase vermelha emergencial:

  • Academias
  • Igrejas e atividades religiosas
  • Campeonatos esportivos
  • Salões de beleza
  • Cinemas
  • Teatros
  • Shoppings
  • Lojas de rua, incluindo lojas de material de construção
  • Concessionárias
  • Escritórios
  • Parques
  • Clubes
  • Praias
Estação da Luz registra lotação na manhã desta segunda, primeiro dia do estado na fase emergencial  — Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Estação da Luz registra lotação na manhã desta segunda, primeiro dia do estado na fase emergencial — Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Veja, abaixo, que muda com a fase emergencial:

Novas restrições

  • Atividades religiosas, como missas e cultos, não podem mais ocorrer presencialmente, mas igrejas permanecem abertas.
  • Campeonatos esportivos profissionais, como jogos de futebol, ficam suspensos.
  • Lojas de material de construção não poderão abrir.
  • Teletrabalho passa a ser obrigatório para todas atividades administrativas não essenciais.
  • Comércios não essenciais, como lojas de roupas e restaurantes, não poderão operar com serviço de retirada presencial, apenas delivery (24 horas) ou drive-thru (das 5h às 20h)
  • Fica proibido o uso de parques e praias em todo o estado
  • Toque de recolher passa a ser das 20h às 5h em todo o estado.
  • Os recessos de abril e outubro na rede estadual de ensino serão antecipados

Novas recomendações

  • Sugestão de escalonamento do horário de entrada de funcionários da indústria (das 5h às 7h), do comércio (das 9h às 11h) e do setor de serviços (das 7h às 9h) para evitar aglomerações no transporte público.
  • Uso de máscara em ambientes internos, inclusive entre familiares de residências diferentes.
  • Redução das atividades presenciais nas escolas ao mínimo possível.

Novas regras da fase emergencial no estado de SP — Foto: Reprodução/Governo de SP

Fiscalização

Neste final de semana, a polícia interrompeu diversos eventos com aglomerações. Um deles ocorria em um cassino na Vila Olímpia, bairro nobre da capital paulista. Dentre os detidos, estava o jogador GabiGol, do Flamego, e o funkeiro MC Gui.

Na madrugada de sábado (13), 500 pessoas foram a uma balada clandestina na região do Capão Redondo, também na Zona Sul.

Na quarta-feira (10), 158 pessoas foram detidas em uma festa ilegal às margens da Represa Billings, em São Bernardo do Campo, na região do ABC.

Na sexta (12), a polícia parou uma balada com cerca de 150 pessoas no Tatuapé, na Zona Leste.

Governo de SP aumenta restrições de 14 atividades; veja a lista — Foto: Divulgação Governo de SP

Governo de SP aumenta restrições de 14 atividades; veja a lista — Foto: Divulgação Governo de SP

Escolas

O gestão estadual manteve a educação como serviço essencial, mas recomendou que a prioridade seja para o ensino remoto.

Na rede estadual, as unidades ficarão abertas apenas para oferta de merenda e distribuição de material, que deverá ser feita por meio de agendamento prévio, uma vez que o governo decidiu antecipar os recessos de abril e outubro para o período de 15 a 28 de março, sem prejuízo do calendário escolar.

Na capital paulista, a Prefeitura de São Paulo suspendeu as aulas presenciais do dia 17 a 1° de abril. O recesso de julho será antecipado na rede municipal, que retoma as atividades no dia 5 de abril.

Escolas privadas poderão adotar outra medida, desde que não recebam alunos presencialmente.

Leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) contra Covid-19 do Hospital de Campanha Ame Barradas, montado em Heliópolis, na zona sul de São Paulo, nesta segunda- feira, 08 de março de 2021 — Foto: MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO

Leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) contra Covid-19 do Hospital de Campanha Ame Barradas, montado em Heliópolis, na zona sul de São Paulo, nesta segunda- feira, 08 de março de 2021 — Foto: MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO

Mortes à espera de UTI

Apesar da fase vermelha, a situação no estado se agrava a cada dia.

Levantamento feito pelo G1 aponta que ao menos 60 pacientes com Covid-19 morreram na fila de espera por leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no estado de São Paulo no mês de março.

As mortes de pacientes que aguardavam liberação de leitos intensivos ocorreram em cidades localizadas na Grande São Paulo e no interior do estado.